Museu Virtual - Cabeçalho- 27-07-2021 -1020.jpg

Costa Marques / Rondônia / Brasil

 

PROJETO: Gravar em vídeos a História local. Apoie o projeto de valorização.

 

 

Costa Marques: História Regional

 

O vale do Guaporé é explorado desde o período colonial. Aventureiros, bandeirantes, desciam e subiam navegando pelos rios Guaporé, Mamoré, Madeira e Amazonas. Com a criação da capitania do Mato Grosso e a construção da Capital Vila Bela da Santíssima Trindade, a coroa portuguesa com interesse na posse da terra da margem direita do rio Guaporé recomenda ao governador da capitania, Antônio Rolim de Moura, a formação de povoações ao longo desse rio.

O vale do Guaporé, no início da segunda metade do século XVIII, foi uma região de constante confronto entre portugueses e espanhóis pelo domínio da terra.

A navegação pelo rio Guaporé foi importante para o abastecimento dos garimpos de ouro na região de Vila Bela da Santíssima Trindade, capital da capitania de Mato Grosso. Com o declínio da mineração no alto Guaporé ocorre o abandona da via fluvial e a região fica no esquecimento por um período aproximado de cem anos. Volta a ser povoada no Primeiro Ciclo da Borracha.

Entre o final do século XIX e o início do século XX o látex passa ser a produto de importância comercial mundial, dando origem ao Primeiro Ciclo da Borracha, e na Amazônia região produtora ocorre a formação de diversos seringais, povoações de propriedade de seringalista que mantinha domínio de espaço de exploração de látex.

A bacia do rio Guaporé e de seus afluentes era importante região produtora de látex, e as principais vias eram os rios São Domingo e São Miguel.

No Primeiro Ciclo da Borracha as embarcações que navegavam pelos rios da Amazônia eram movidas a vapor. Por volta de 1900, Francisco Chianca Fecunda navegando pelo rio Guaporé, chega na foz do rio São Domingo. Em 1905 se estabelece com atividade em extração de lenha para o abastecimento de embarcações a vapor que trafegavam pelo rio Guaporé de Guajará-Mirim a Vila Bela. Francisco Chianca denominou o seu estabelecimento de Porto São Domingos.

No dia 20 de janeiro de 1906, se hospedou no estabelecimento de Francisco Chianca “que era um tapiri” um coletor de impostos, engenheiro e ilustre político mato-grossense Manoel Esperidião da Costa Marques, dotado de singular cultura e carisma, cativando, sobremaneira, o proprietário do estabelecimento. O hospede Manoel Esperidião da Costa Marques estava com malária e foi atendido por Chianca.

O ilustre hospede seguiu viagem e o anfitrião impressionado com a cultura do visitante trocou o nome que era Porto São Domingos, passou a ser Porto Costa Marques, em homenagem ao seu ilustre hospede.

Monsenhor Francisco Xavier Rey escolheu dia 20 de janeiro como dia do padroeiro de Costa Marques, São Sebastião.

 

Proibida reprodução - 1000.jpg

 

Costa Marques: Formação da Cidade

 

A formação da cidade de Costa Marques teve início em 1905 com a denominação Porto São Domingo, era estabelecimento de comercio de propriedade de Francisco Chianca, a estrutura era tapiri, atendia as embarcações a vapor que viajavam no trecho entre Guajará Mirim e Vila Bela da Santíssima Trindade. No dia 20 de janeiro de 1906 passou a ter a denominação Costa Marques.

Era o Primeiro Ciclo da Borracha e a região Amazônica estava no auge da economia da borracha. Portanto, passa a chegar outros comerciantes. Chega ao fim o Primeiro Ciclo da Borracha e a região fica estagnado por quase três décadas. Volta a se desenvolver no Segundo Ciclo da Borracha, na década de 1940.

Era um povoado, cai na atenção do governo de Rondônia que constrói infraestrutura “Hotel do Governo” para lazer um lugar para descanso de autoridades.

 

 

Nossa Missão é- A -.png

 

Costa Marques: Criação do Município

 

O município Costa Marques foi criado pela Lei (federal) nº. 6.921, em 16 de junho de 1981, sancionada pelo presidente general João Baptista Figueiredo.

A área para a formação do território do município Costa Marques foi desmembrada do município Guajará-Mirim.

O município de Costa Marques, na ocasião da sua criação o território abrangia os atuais municípios de São Francisco do Guaporé, Seringueiras, São Miguel do Guaporé, Alta Floresta d’Oeste e Alto Alegre dos Parecis.

A instalação do município ocorreu no dia 1º de fevereiro de 1983, com a posse dos vereadores eleitos em 15 de novembro de 1982.

Em 1986, foi desmembrado do município de Costa Marques área para formar o território do município de Alta Floresta d’Oeste que na época abrangia Alto Alegre dos Parecis. em 1988 foi desmembrada área para a formação do Município de São Miguel do Guaporé que abrangia Seringueiras e em 1995 foi desmembrada a área para formar o território do município de São Francisco do Guaporé.

Para administrar o município de Costa Marques, na fase inicial, o governador do Território Federal de Rondônia, coronel Jorge Teixeira de Oliveira, nomeou Mário Jorge Duarte de Queiroz, em cargo de comissão com a função de prefeito (prefeito tampão).

 

 

Costa Marques: Prefeito Nomeado

Mário Jorge Duarte de Queiroz: período de --/--/---- a 10/10/1983.

 

 

Costa Marques: Prefeitos Eleitos

 

Na ocasião da criação e da instalação do município Costa Marques o Brasil via um período de ditadura militar, que teve início em 1964. O município Costa Marques está localizado numa faixa de fronteira e portanto, na época prefeito de município de fronteira era nomeado pelo governador. Assim, o governador do então Território Federal de Rondônia, Jorge Teixeira de Oliveira nomeou Mário Jorge Duarte de Queiroz que administrou o município até 10 de outubro do de 1983

 

Primeiro prefeito, Ruy Rodrigues de Almeida, eleito em 31 de agosto de 1983 foi empossado no cargo no dia 10 de outubro do mesmo ano e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 1988.

Segundo prefeito, Sebastião Alves Teixeira, eleito em 15 de novembro de 1988 foi empossado no cargo no dia 1º de janeiro de 1989 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 1992.

Terceiro prefeito, Antônio Cassimiro da Silva, eleito em 4 de outubro de 1992 foi empossado no cargo no dia 1º de janeiro de 1993 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 1996.

Quarto prefeito, Erasmo Julio dos Santos, eleito em 6 de outubro de 1996 foi empossado no cargo no dia 1º de janeiro de 1997 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2000.

Quinto prefeito, Raymundo Mesquita Muniz, eleito em 1º de outubro de 2000 foi empossado no cargo no dia 1º de janeiro de 2001 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2004.

Sexto prefeito, Elio Machado de Assis, eleito em 3 de outubro de 2004 foi empossado no cargo no dia 1º de janeiro de 2005 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2008.

Sétimo prefeito, Jacqueline Ferreira Góis, eleita em 5 de outubro de 2008 foi empossada no cargo dia 1º de janeiro de 2009 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2012.

Oitavo prefeito, Francisco Gonçalves Neto, (Chico Território) eleita em 7 de outubro de 2012 foi empossada no cargo dia 1º de janeiro de 2013 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2016.

 

Nono prefeito: Vagner Miranda da Silva, eleito em 2 de outubro de 2016 foi empossada no cargo dia 1º de janeiro de 2017 com mandato até 31 de dezembro de 2020.

 

Décimo prefeito: Vagner Miranda da Silva eleito para um segundo mandato em 4 de outubro de 2020 e empossado no cargo dia 1 º de janeiro de 2021, com mandato a ser concluído em 31 de dezembro de 2024.

 

Proibida reprodução - 1000.jpg

 

Costa Marques: Câmara Municipal

 

O Poder Legislativo do Município de Costa Marques foi instalado no dia 1º de fevereiro de 1983, com a posse dos eleitos em 15 de novembro de 1982.

 

 

 

Costa Marques: Câmara Municipal

 

O Poder Legislativo do Município de Costa Marques foi instalado no dia 1º de fevereiro de 1983, com a posse dos eleitos em 15 de novembro de 1982.

 

 

 

 

Costa Marques: História da Educação no Município

 

 

Elaborando

 

 

 

Costa Marques: História da Saúde no Município

 

Elaborando

A17-41 - Costa Marques - 11 - 2005.jpg