Museu Virtual - Cabeçalho- 27-07-2021 -1020.jpg

Candeias do Jamari / Rondônia / Brasil

Estamos preparando para o projeto de Gravação de Vídeos referentes a História das cidades de Rondônia

Modelo Midia - Museu 04az -980.jpg

 

Candeias do Jamari: Povoamento

 

Os primeiros habitantes do vale do rio Jamari foram os índios, no Alto Jamari habitavam os índios Arikém, e na foz, os índios Mura.

A partir do final do século XIX, passa a chegar os seringueiros, na maioria procedente do Ceará, e foram ocupando as margens do rio Jamari e de seus afluentes, entre eles o rio Candeias.

Os seringalistas fundaram um povoado na margem do rio Jamari ao lado da cachoeira de Samuel. No povoado de Samuel, que surgiu por volta de 1900, chegou a ter mais de dois mil habitantes.

A cachoeira de Samuel divide o rio em alto e baixo Jamari, portanto, na região existia um importante porto, onde as gaiolas (embarcações) que vinham de Manaus e Belém, descarregavam mercadorias, alimentos, ferramentas, etc. ..., carregavam látex (borracha) para retornarem à Belém e Manaus. As embarcações menores faziam o transporte entre a cachoeira e os seringais do alto Jamari.

Com a decadência da extração de látex os habitantes do povoado da cachoeira de Samuel foram aos poucos abandonando a localidade.

Modelo Midia - Museu 04 -980.jpg

 

Candeias do Jamari: Ciclos da Borracha

 

O látex (borracha) produto de exportação matéria prima utilizado em diversas indústrias foi entre o final do século XIX e o início do século XX a maior riqueza da Amazônica brasileira. É extraído da arvore seringueira (Hévea brasiliensis) natural da Amazônia.

A formação de seringais no continente asiático, principalmente na Malásia, plantados com mudas de seringueiras originárias e contrabandeados do Brasil, gera a desvalorização do preço do látex no mercado internacional, consequentemente o abandono dos seringais na Amazônia.

Surge a Segunda Guerra Mundial, 1939 a 1945, a Malásia foi ocupada por tropas japonesas e inviabiliza a extração de látex para abastecer os Estados Unidos e países aliados.

Em outubro de 1940, o presidente Getúlio Vargas, a convite do tenente-coronel Aluízio Pinheiro Ferreira, administrador da empresa ferroviária Madeira-Madeira, visita a cidade de Porto Velho, tinha como objetivo inaugurar um vapor para geração de energia elétrica. O presidente permanece por três dias na cidade, sua visita foi importante e influenciou em decisões de governo para o desenvolvimento regional.

Por falta de matéria para fabricação de pneus e abastecer os países aliados é feito um acordo entre o Brasil e os Estados Unidos, Tratado de Washington (1942), cujo objetivo era organizar a produção do látex na Amazônia brasileiro.

O presidente do Brasil, Getúlio Vargas, abre inscrição de alistamento militar para um novo exército, o de extração de látex na Amazônia brasileira. Esses militares recebiam o nome Soldado da Borracha. A maioria dos soldados era do Nordeste brasileiro. Os jovens que se alistavam como Soldado da Borracha eram enviados para Manaus e de lá embarcavam para as regiões de seringais, assim fugiam der ir para os campos de batalhas, juntos com os aliados, na Europa. Os jovens que se alistavam não tinham a menor ideia de como era a vida embaixo da floresta.

Em Porto Velho, foi construído um quartel que ficou denominado quartel dos Arigós.

As embarcações que chegavam transportando jovens alistados na condição de Soldado da Borracha eram direcionadas para desembarque e hospedagens neste quartel, que deu origem ao bairro Arigolândia.

Os seringalistas se dirigiam ao comandante, solicitava e selecionava a quantidade soldados que desejasse. A partir dai o jovem soldado ficava sob o domínio do seringalista, que enviavam para os barracões, sede de seringais e de la se embrenhavam na floresta, geralmente sozinho. No início o soldado era considerado bravo por falta de experiência. Fim da guerra, muitos a maioria dos Soldados da Borracha, ficam abandonados nos seringais. Com a migração, da década de 1940, a densidade demográfica aumenta no espaço hoje denominado por Estado de Rondônia, e a cidade de Porto Velho passa por um período de desenvolvimento.

Com a decadência da extração de látex os habitantes do povoado da cachoeira de Samuel foram aos poucos abandonando a localidade.

N década de setenta do século XX, a cachoeira de Samuel era um importante balneário, sempre visitado por banhista da cidade de Porto Velho. Em 1982, a Construtora Odebrecht indenizou as poucas famílias que residiam na proximidade da cachoeira e no local foi construído a Usina Hidrelétrica de Samuel.

 

Proibida reprodução - 1000.jpg
Modelo Midia - Museu 01 -980.jpg

 

Candeias do Jamari: Colônia Agrícola do Rio Candeias

 

Na década de 1940, o governo federal cria Colônia Agrícola, com objetivo de produzir produtos agrícolas para abastecer o crescente mercado consumidor da cidade de Porto Velho. E, em 1950, foi criada por decreto uma nova colônia, Colônia Agrícola do Rio Candeias. Na ocasião, a cidade de Porto Velho estava sendo estruturada, porque havia sido elevada à categoria de capital do Território Federal do Guaporé, portanto, a população aumentava consideravelmente e para abastecer era preciso de mais alimentos.

 

Em 1943, foi criado o Território Federal do Guaporé, em seguida, foi planejada a implantação de uma rodovia ligando Porto Velho ao Centro Oeste, Sul e Sudeste do país. A obra foi iniciada em 1945 com a denominação BR 29. Porém, na ocasião, foi aberto trecho entre Porto Velho e o rio Jamari, na década de 50 do século XX, estava aberta até a então vila Ariquemes.

BR 29. Porém, na ocasião, foi aberto trecho entre Porto Velho e o rio Jamari, na década de 50 do século XX, estava aberta até a então vila Ariquemes.

No ano de 1960, o presidente Juscelino Kubitschek ordenou a abertura da rodovia que passou a ser denominada de BR 364. O ser-

 

 

Candeias do Jamari: Usina Hidrelétrica de Samuel

 

Em 1965, foi conhecido o potencial hídrico da cachoeira de Samuel, no rio Jamari. No ano de 1979, teve início o levantamento para o aproveitamento do potencial hídrico da cachoeira de Samuel.

No ano de 1982, teve início a obra de construção da Usina Hidrelétrica de Samuel. A primeira turbina entrou em funcionamento no dia 26 de julho de 1989, na ocasião, foi construída a linha de transmissão entre a UHE Samuel e a cidade de Porto Velho. As outras turbinas entraram em funcionamento: a segunda em março de 1990, a terceira em dezembro de 1994, a quarta em 1995 e a quinta em agosto de 1996.

A Usina Hidrelétrica de Samuel, é composta por cinco turbinas e juntas tem potencial de gerar 216 Mw, está instalada no rio Jamari na região centro norte do município de Candeias do Jamari. A represa de Samuel é o maior lago artificial de Rondônia. Ocupa uma área de 559,00km2 e a maior profundidade e de aproximadamente 45 metros. A maior parte da área ocupada pertence ao município de Candeias do Jamari e uma parte menor pertence ao município de Itapuã do Oeste

 

Nossa Missão é- A -1000.jpg
Modelo Midia - Museu 02 -980.jpg

 

Candeias do Jamari: Colonização

 

O grande povoamento por colonos das terras dos vales do rio Candeias e do rio Jamari ocorreu a partir de 1986, através de projetos de assentamento implantados pelo Instituto Nacional de Colonizarão e Reforma Agrária - INCRA. Porém em 1950, já havia sido implantada na região a Colônia Agrícola de Candeias.

Em 14 de agosto de 1986, foi implantado o Projeto de Assentamento Vale do Jamari, onde foram assentadas 1.081 famílias. Cada família recebeu um lote rural de tamanho médio de 46 hectares. Uma grande parte da área do Projeto Vale do Jamari está dentro do município de Itapuã do Oeste.

No Projeto de Assentamento Rio Preto do Candeias, implantado em 11 de dezembro de 1986, o INCRA assentou 522 famílias, em lotes rurais de tamanho médio de 60 hectares.

Em dezembro de 1988, o INCRA implantou o Projeto de Assentamento Cachoeira de Samuel, onde foram assentadas 76 famílias em lotes rurais de tamanho médio de 22 hectares. No ano de 2001, foi implantado o projeto de assentamento Paraíso das Acácias com lotes de área média de 3 hectares, onde o INCRA assentou 121 famílias. Ainda em 2001, foi implantado o Projeto Comunidade Alternativa onde foram assentadas 73 famílias em áreas de tamanho médio de 3,5 hectares.

Através dos projetos de assentamento foram colonizadas as regiões sul e oeste do município de Candeias do Jamari.

 

 

Candeias do Jamari: Formação da Cidade

 

O povoado de Candeias teve início na década de 40, com a implantação pelo governo de uma colônia agrícola e com a construção de uma ponte em madeira para a travessia do rio Candeias. Em 4 de junho de 1948, foi construída a Escola Teodoro de Assunção.

As margens do rio e da rodovia foram construindo comércios como bares, restaurantes, borracharias etc.

Conforme aumentava o movimento na BR 364, aumentava também a quantidade de pessoas residentes na localidade.

Durante a década de 70, a localidade de Candeias foi um importante ponto de apoio rodoviário para quem viajava pela BR 364, os ônibus faziam paradas para refeição ou lanches. Com o asfaltamento da BR-364, entre 1982 e 1984, o povoado de Candeias deixou de ser um importante ponto de apoio rodoviário e passa a se desenvolver como vila.

 

 

Candeias do Jamari: Vila Candeias

 

No final de 1982, a construtora Odebrecht indenizou as famílias que residiam próximo à cachoeira de Samuel e as margens do rio Jamari, onde iria formar o lago da represa de Samuel.

A construtora Odebrecht abriu a avenida Laelcio Nobre Barros e avenida Dom Bosco, antiga rua Jamari, construiu o colégio Barcessat, transportou as famílias que residiam próximo a cachoeira de Samuel para a localidade de Candeias. Na época, a região pertencia ao município de Porto Velho.

A prefeitura do município de Porto Velho através da Secretaria Municipal de Promoção Social incentivou, em 1986, o povoamento na vila Candeias, distribuindo lotes urbanos e abrindo ruas.

A vila Candeias pertencia a Porto Velho e foi elevada à categoria de cidade e sede do município de Candeias do Jamari em 13 de fevereiro de 1992.

 

Proibida reprodução - 1000.jpg
Modelo Midia - Museu 04 -980.jpg

 

Candeias do Jamari: Criação do Município

 

O município de Candeias do Jamari foi criado em 13 de fevereiro de 1992, através da Lei estadual nº. 363, assinada pelo governador do estado de Rondônia Oswaldo Piana Filho.

A área para a formar o território do município de Candeias do Jamari foi desmembrada do município de Porto Velho.

O processo de criação do município de Candeias do Jamari teve início em 1989, após tramitar e ser aprovado pelo Poder Legislativo do Estado e receber parecer técnico do IBGE referente a área, população, economia e limites, foi autorizado pelo TRE a consulta popular através de plebiscito. Este foi realizado em 11 de março de 1990.

A região possuía 2.790 eleitores, desse total, 1.472 compareceram para consulta popular, 1.256 votaram “sim”, 185 votaram “não”, 17 votos foram nulos, 14 foram brancos, e teve uma abstenção de 1.318 eleitores. Portanto, foi aprovado pela população local a criação do município.

 

 

Candeias do Jamari: Instalação do município

 

O município de Candeias do Jamari foi instalado no dia 31 de dezembro de 1993 com a posse de Francisco Vicente de Souza (popular, Chico Pernambuco), primeiro prefeito e dos primeiros vereadores Ivo Millan; Lindomar Barbosa Alves; Antônio Domingos Batista; Pedro Torres de Castro; Euvaldo Ribeiro dos Santos; Ivomar Alves de Souza; Cláudio Ramalhães Feitosa; Cacildo dos Santos e Sebastião Luiz Pereira.

O primeiro trabalho dos primeiros vereadores foi a elaboração da Lei Orgânica, que foi promulgada em ..........

Francisco Vicente de Souza, primeiro prefeito, teve a missão de instalar o Poder Executivo: construir a prefeitura ................

 

 

Prefeito Nomeado (Tampão)

Francisco Polari, -- de ----- de 1992 a 31/12/1992

 

 

Prefeito eleitos

 

Primeiro prefeito, Francisco Vicente de Souza (Chico Pernambuco), eleito em 4 de outubro de 1992 foi empossado no cargo dia 1º de janeiro de 1993 e concluiu o mandado dia 31 de dezembro de 1996.

 

Segundo prefeito, Lindomar Barbosa Alves (Garçom), eleito em 6 de outubro de 1996 foi empossado no cargo dia 1º de janeiro de 1997 e concluiu o mandado dia 31 de dezembro de 2000.

 

Terceiro prefeito, Lindomar Barbosa Alves, reeleito em 1º de outubro de 2000 foi empossado no cargo, para o segundo mandato, dia 1º de janeiro de 2001 e concluiu o mandado dia 31 de dezembro de 2004.

 

Quarto prefeito, Francisco Vicente de Souza (Chico Pernambuco), eleito pela segunda vez em 3 de outubro de 2004 foi empossado no cargo dia 1º de janeiro de 2005 e concluiu o mandado dia 31 de dezembro de 2008.

 

Quinto prefeito, Osvaldo Sousa (Dinho), eleito em 5 de outubro de 2008 foi empossado no cargo dia 1º de janeiro de 2009, esse mandato foi concluido em 31 de dezembro de 2012.

 

Sexto prefeito, Osvaldo Sousa (Dinho), em outubro de 2012 foi eleito para um segundo mandato, empossado no cargo dia 1º de janeiro de 2013, renunciou em ------------ assumiu o vice prefeito --------------------- que também renunciou, assumiu o presidente da Câmara Municipal que concluiu o mandado em 31 de dezembro de 2016.

 

Oitavo prefeito: Francisco Vicente de Souza (Chico Pernambuco), eleito em 4 de outubro de 2016 foi empossado no cargo dia 1º de janeiro de 2017. Chico Pernambuco foi assinado em 18 de março de 2017. Assumiu o vice prefeito, Luís Ikenohuchi, que acusado no caso da morte de Chico Pernambuco, foi afastado do cargo e assumiu o presidente da Câmara Municipal vereador --------------------------- e concluiu o mandato no dia 31 de dezembro de 2020.

 

Oitavo prefeito: Valteir Geraldo Gomes de Queiróz (Valteir Queiroz) eleito em 4 de outubro de 2020 e empossado no cargo dia 1 º de janeiro de 2021, com mandato a ser concluído em 31 de dezembro de 2024.

Proibida reprodução - 1000.jpg

 

Candeias do Jamari: História da Educação no Município

 

 

Texto em fase de elaboração

 

 

----------------------------------- 

Candeias do Jamari: História temas diversos

 

 

Texto em fase de elaboração

 

 

 

----------------------------------- 

 

Candeias do Jamari: Distrito Triunfo

 

Com a implantação pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrário-INCRA do Projeto de Assentamento Rio Preto do Candeias ocorreu o povoamento da região sul do município de Candeias do Jamari. O INCRA contratou a Construtora Triunfo para fazer a abertura da linha 631, principal via de acesso do projeto com a BR-364.

No quilômetro 29, da linha 631, iniciou a formação do povoado de Vila Triunfo.

 

Escola Jonatas Coelho Neiva, Vila Triunfo.

No ano letivo de 2002, estudavam na Escola Jonatas Coelho Neiva 691 alunos do ensino fundamental, regular, sendo 457 alunos de 1ª a 4ª série e 234 alunos de 5ª a 8ª série. No Ensino de Jovens e Adultos, estudaram 141 alunos.

 

can-002a.jpg
can-004b.jpg